A Retomada da Aviação: como está sendo?

A Retomada da Aviação: como está sendo?
Compartilhe:

Receba notícias no seu celular, acesse o canal do OHM no Telegram

Como todos já sabemos, a aviação está sendo bastante afetada por conta da pandemia do COVID-19. Porém, apesar do primeiro impacto, a retomada segue acontecendo em todo o mundo. Em alguns lugares, como a China, a retomada segue a todo vapor. Outros, como a Argentina, o governo segue postergando uma retomada. Então, vamos falar de como está sendo a retomada da aviação comercial no Brasil, coletando os dados de movimentação dos principais hub’s das 3 grandes empresas do Brasil. Portanto, falaremos de Guarulhos, Congonhas, Galeão, Confins, Brasília, Salvador, Recife e Campinas.

Os dados foram extraídos do Relatório Comparativo de Tráfego Aéreo, disponibilizado pelo CGNA (Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea), subordinado ao DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo). O relatório completo pode ser visto por esse link.

São Paulo Guarulhos (Hub da Latam e da Gol):

O principal aeroporto internacional e o maior aeroporto doméstico do país, que no pior mês, em Abril chegou a registrar 3445 operações, sendo a maioria de voos comerciais, registrou em Julho um total de 7469 operações. A média atual é de 316 operações por dia.

São Paulo Congonhas (Hub da Latam e da Gol):

O principal aeroporto majoritariamente doméstico viveu seus piores dias durante a pandemia. Entre Abril e Maio, chegou a registrar um total de ZERO voos comerciais durante 5 semanas. Nesse período, no qual foi liberado até voos de instrução e manobras de toques e arremetidas na principal pista do aeroporto, foram realizadas um total de 1744 operações, quase todas da aviação geral.

Hoje, a aviação comercial já retornou ao aeroporto, que segue sendo afetado por conta do fechamento da principal pista. A média atual, mesmo sem a 17R/35L, é de 138 operações diárias.

Galeão (Hub da Gol):

O aeroporto que abriga a maior pista comercial do Brasil, já vivia um péssimo momento antes da pandemia, com a pandemia, a crise se agravou. A maior pista (10/28) foi e segue fechada. No pior momento, registrou um total de 680 operações em todo o mês de abril.

Em Julho, com o retorno gradativo das operações da Gol e das poucas operações da Latam e as internacionais, registrou um total de 1881 operações. A média atual de operações é de 77 operações por dia.

A Retomada da Aviação: como está sendo?


Confins (Hub da Azul):

Confins (meu hometown airport) vivia um momento impar. Com aumento de frequências dos voos internacionais e a chegada aos 1 milhão de passageiros por mês pela primeira vez após a recessão, o momento era promissor. Porém a pandemia cortou o clima. No pior mês, em Abril, registrou 686 operações.

As 3 companhias acompanharam o clima de cautela na reabertura de Belo Horizonte (que só começou com vigor nas últimas semanas) e por isso, no mês de Julho foram registrados um total de 1546 operações, com uma média de 67 operações por dia atualmente.

A Retomada da Aviação: como está sendo?


Brasília (Hub da Gol e da Latam):

O aeroporto da capital do país também vivia um excelente momento, a exemplo de Confins. Com Latam adicionando diversos voos a partir de Brasília e a Gol mesmo com a parada do 737 Max ainda apostando em Brasília como um excelente ponto de partida para seus voos a Cancún e a Flórida, o momento também era promissor. Mas também sofreu com a pandemia.

No pior mês, também em Abril, registrou um total de 2180 operações, com uma média diária atual de 206 operações.

A Retomada da Aviação: como está sendo?


Salvador (Novo Hub da Gol):

Talvez, uma das situações mais atípicas dentre as cidades que mencionamos: foi o único aeroporto de capital que ganhou status de hub durante a pandemia. A despeito das estratégias comerciais, Salvador também vinha vivendo um excelente momento: o terminal foi completamente reformado e muito bem reformado, por sinal. Mas a pandemia também cobrou seu preço em Salvador. No pior mês, em Abril, chegou a um total de 1451 operações. Mas a instalação do hub fez com que houvesse uma recuperação vigorosa, mesmo com sua pista principal interditada para obras e com operações apenas na pista auxiliar.

Em Julho, houveram um total de 2479 operações, com uma média de 100 operações por dia atualmente.

Recife (Hub da Azul):

O aeroporto pernambucano também vivia um excelente momento. Logo no começo da pandemia, deixou de ser um aeroporto gerido pela Infraero e passou a ser gerido pela espanhola Aena. As expectativas também eram promissoras, mas a realidade foi o total de 1162 operações no pior mês, abril.

Em Julho, registrou um total de 2549 operações, com uma média diária atual de 96 operações por dia.


Viracopos/Campinas (Hub da Azul):

A casa da Azul, vivia um grande momento por conta da Azul. A parte das disputas pela gestão do aeroporto, a empresa vivia um bom momento ali, com a espera pelo lançamento do voo direto e mais rápido para Nova York (peguei esse trecho emprestado e um comercial antigo da Varig). A pandemia mostrou a sua face, fazendo Viracopos chegar a um total de 2095 operações no pior mês, abril. Mas o aeroporto saiu da cola de Confins (de quem sempre ficava atrás no número de passageiros) para o 2º aeroporto do país.

No último mês, foram realizadas 4452 operações, com uma média atual de 161 operações todos os dias.

Esperamos que todos os aeroportos do país, bem como a nossa aviação, voltem ao normal o mais rápido possível. A retomada está só começando, portanto há muita água pra rolar e há muitos aviões e tripulantes para voltarem aos céus.

Gostou deste post? Por favor, compartilhe! Há muitas maneiras de fazer isso abaixo.

Você também pode me seguir no Twitter e Instagram ou ainda receber artigos diários assinando nossa newsletter clicando aqui.

22 anos, Belo Horizonte/MG. Apaixonado por aviação e viagens no geral, principalmente viagens aéreas. "A experiência faz pela alma o que a educação faz pela mente".