“Se eu sou defensor de alguma coisa, é de se mover. 

Como [não] escolher um assento no avião


Como [não] escolher um assento no avião

Receba notícias no seu celular, acesse o canal do OHM no Telegram

Quando vamos viajar de avião, uma das preocupações sobre o voo é qual lugar escolher. Dentre vários assentos, escolher um pra você, ou alguns para seus amigos e familiares, pode ser uma tarefa que beira o hérculeo. Principalmente se você, assim como eu, tem alguma dificuldade em decidir as coisas.

Para isso, quase todo site de viagem tem um artigo sobre como escolher o melhor lugar. Mas muitas vezes, nem isso é suficiente para te livrar de uma furada. As vezes, a fileira não tem janela, ou a fileira é inconveniente. Hoje o tutorial vai além, vamos falar muito do que não fazer e algumas dicas que eu uso em minhas viagens pra evitar furadas. E modéstia a parte, até hoje, exceto quando não foi possível mudar o lugar por motivos de sistema (o que aconteceu nas 2 vezes em que não voei na janela), sempre escolhi lugares no mínimo medianos para bons (quem leu meu artigo sobre o myFlightRadar24 e abriu o meu perfil, viu lá!).

A primeira coisa que é necessária dizer é que avião não é tudo igual e mesmo quando é, podem ter variações nas configurações para o mesmo modelo dentro da mesma empresa. Então, muitas vezes, é necessário se atentar a isso.

Como [não] escolher um assento no avião
Cabine de um Boeing 787-9 da LATAM Chile. Foto: alobos life/Flickr
Em segundo lugar, mantenha sempre a mão o site SeatGuru. Mantido pelo Tripadvisor, esse site mostra as configurações de aeronaves de empresas do mundo inteiro, da Spirit a Qatar Airways, da Ryanair a Lufthansa. Isso inclui as nossas brasileiras Gol, Latam e Azul. Apesar de em alguns casos a configuração não ser precisa, ela é o que chega mais perto da realidade. Então, ao longo do tutorial, vou falar qual o melhor meio pra pegar o mapa de assentos de cada tipo de avião (desde que o mapa exista).

Por último, após os assentos que se deve evitar, você deve levar em consideração que cada parte do avião tem a sua peculiaridade: na parte dianteira, o balanço e o barulho são menores. No meio, há mais estabilidade em caso de turbulência por estar bem no meio da asa e no centro do avião. No fundo, você sente os movimentos do avião com mais intensidade. As curvas, subidas e descidas são mais sentidas. Isso aí, a escolha será toda sua.

Então, passando essa primeira introdução, vamos falar de cada empresa!

Gol

A Gol possui como política de marcação de assentos a marcação dos assentos comuns sem custo no check-in (que começa 48 horas antes da partida). Claramente, você sempre pode pagar por um assento comum a qualquer momento anterior ao check-in. Porém as tarifas Plus ou Max já dão direito a marcação gratuita a qualquer momento. Nesse caso, a minha dica é fazer o possível pra fazer o check-in nos primeiros minutos. Isso por que, a chance de achar o assento de sua preferência é grande. Mas se não achar, terá outras opções em maior quantidade e qualidade.

Quanto aos mapas da frota, a Gol é a única que disponibiliza em seu site os mapas de assentos dos tipos de aeronaves em que operam, além de informar quais assentos não tem janelas e quais não reclinam. Os mapas também estão disponíveis no SeatGuru, porém com erros: os mapas dos 737-800 mostram que o assento 10F não tem janela, quando na verdade tem. Nos mapas dos 737-800 e 737 Max 8, não mostra que a fileira 14 não reclina, classificando como assento comum, já no site mostra.

Interior de um Boeing 737-800 da Gol, com Sky Interior e assentos Recaro. Foto: Lucas Sérgio/JetPhotos

Portanto, a Gol já dá “de mão-beijada” os assentos que você deve evitar, no caso, os assentos das fileiras sem janela e os da última fileira, que embora tenham janela, podem ter uma reclinação menor que o normal. Além disso, conte com a sorte: alguns 737-800 e 737 Max 8 possuem os assentos fabricados pela Recaro, que além de serem mais finos (liberando ligeiramente mais espaço), possuem suporte para celular, para evitar que você precise baixar a mesinha para assistir algo no celular.

Azul

A Azul possui uma política de marcação de assentos bem semelhante a da Gol. Valem as mesmas dicas que passei acima, como a da possibilidade da marcação de assentos a qualquer tempo mediante pagamento e fazer o check-in nos primeiros minutos após a abertura.

Os mapas dos aviões no SeatGuru não estão suficientemente atualizados, possuem informações que não são suficientemente reais ou no caso dos tipos de aviões recebidos recentemente (Embraer E195-E2, Airbus A321neo e Airbus A330neo), simplesmente não existem.

No caso dos ATR 72-600 e Embraer 195, os mapas estão corretos. Tem um porém nos Embraer 195: eles tem os assentos desalinhados das janelas, portanto se esticar para algum lado para ver lá fora ou tirar fotos pode ser uma realidade.

Interior de um Embraer 195 da Azul. Foto: Mario Roberto Duran Ortiz/Wikimedia Commons

Já nos Airbus A320neo, vale lembrar que há 3 configurações do modelo na frota. A configuração padrão escolhida pela Azul, presente nos aviões entregues direto da fábrica (prefixos PR-YR* e PR-YS*), possui 174 assentos e o banheiro é posicionado na cauda do avião, ao lado da galley (enquanto o SeatGuru mostra a configuração padrão do A320, com galley integral e banheiros dispostos após a última fileira). No entanto, com a falência da Avianca em 2019, a Azul herdou alguns A320neo da empresa (prefixos PR-YY*). 2 deles possuem a galley tradicional e 162 assentos e o restante, tem a mesma configuração de galley dos encomendados de fábrica pela Azul, mas com 165 assentos.

Cabine de um Airbus A320neo da Azul. Foto: Henrique Sodré/JetPhotos

O tipo de assento é diferente, sendo que o de alguns Neo que vieram da Avianca são quase iguais aos dos A330neo da empresa. Sobre entretenimento, 2 A320neo (PR-YRT e PR-YRU) não tem o sistema de entretenimento e nos mais recentes (PR-YS*), o sistema não está ativo. Em todo o resto, o sistema está ativo. Independente de qual seja escalado, tente fugir da última fileira. Como ela está em um local onde o projeto do modelo considera que deveria ter um banheiro, não há uma janela dedicada a fileira. Assim, é necessário contar com a benevolência do passageiro da fileira da frente (que você usará a janela). Claro, desde que o passageiro não recline a poltrona, se reclinar, adeus Janela para você.

Assento da classe executiva do Airbus A330-200 da Azul. Foto: João Machado/JetPhotos

Pulando agora para os widebody, temos o Airbus A330-200. O mapa dele tem um erro: a fileira 10, da Economy Xtra, não tem janela. Isso foi possível ser encontrado em um vídeo do Aero – Por Trás da Aviação, onde por coincidência, é feito uma demonstração do botão de chamada de comissários e da ventilação na fileira 9. A fileira de trás, é vista sem janela. De resto, as indicações são as do site. Em tempos normais, o modelo é designado para cumprir as rotas dos hubs da Azul (Campinas, Belo Horizonte e Recife) com destino a Orlando, Fort Lauderdale (nos Estados Unidos), Lisboa e Porto (em Portugal). Com a pandemia, a maioria dos voos internacionais com o modelo estão suspensos, restando apenas o voo para Fort Lauderdale. Assim, esses modelos estão realizando voos pelo Brasil com frequência, com destino a cidades como Manaus, Belém, Recife e Fortaleza.

Classe econômica de um Airbus A330-200 da Azul. Foto: João Machado/JetPhotos

Já os Airbus A330-900neo, como eu disse, não tem um mapa de assentos no SeatGuru. Porém, a TAP (que também era de David Neeleman até ano passado), assim como a Azul, adquiriu os Airbus A330-900neo, ambas com a mesma configuração. Por isso, o mapa do A330neo dela está disponível (enquanto o da Azul, brasileira, não). Assim, é só olhar o mapa do A330neo da TAP para ver os assentos do A330neo… da Azul.

LATAM

Talvez, o caso mais complexo da matéria de hoje. Pra começar, a empresa adota uma prática semelhante a de empresas low-fare européias e norte-americanas: comprando na tarifa mais barata, Light ou Promo se existir, você não tem direito de marcar assento em nenhum momento a menos que pague por isso, sendo que os valores começam em 25 reais por trecho.

Já as tarifas Plus e Max dão direito a marcar assento, além de levar uma bagagem, mas isso pode custar de 70 a 80 reais a mais que a tarifa Light. Se você pegar a tarifa Light ou Promo, você pode pagar 25 reais e marcar assento. Parece um valor pequeno, mas pode acabar saindo caro se você vai acompanhado de 1 ou mais pessoas e/ou vai fazer conexão.

Airbus A320neo da Latam. Foto: Francisco Muro/Airliners.net

Além disso, por uma questão de sistema, é comum existirem casos de pessoas que compram assentos e quando vão fazer check-in ou embarcar percebem que os assentos não são os mesmos, ou são em lugares até piores. Há relatos até de clientes que compram assentos Latam + e vão parar em assentos comuns. Eles não fazem o reembolso de forma automática, e se você não pedir o reembolso, nunca mais você verá o seu dinheiro de volta.

Portanto, se você viaja muito em grupo ou família, não abre mão do direito de escolha do assento e tiver opções melhores de horário e preço melhores que ela com as concorrentes, voar de Latam pode não ser a melhor opção para sua viagem. Caso você seja membro do programa de fidelidade da empresa, o Latam Pass, a marcação de assento é gratuita a partir da categoria Gold.

Classe econômica do Boeing 767-300ER da Latam. Foto: Gustavo Aguiar/JetPhotos

Sobre o check-in, assim como na Gol, o check-in abre 48 horas antes do voo. Caso você não tenha direito a escolher seu assento, meu conselho é não fazer assim que abre e esperar passar 24 horas. Isso por que os primeiros a fazer o check-in são colocados na última fileira e no assento do meio. Ao mesmo tempo, monitore os assentos a venda para fazer o check-in quando for possível o sistema te alocar em um assento conveniente, mas tome cuidado! A intenção é que você voe, portanto não deixe para fazer o check-in na última hora. Além disso, o sistema ainda pode te designar um assento que não seja o do seu agrado.

Além disso, fique de olho no seu e-mail! Antes da pandemia, a Latam tinha estendido seu serviço de Premium Economy, que antes era disponível nos voos internacionais com os Airbus A319, A320 e A321, para os voos domésticos. No entanto, com a pandemia, o público-alvo dessa classe (passageiros voando a trabalho, normalmente executivos) está trabalhando de casa, não viaja mais. Assim, não é nada incomum que em algumas rotas, a Latam ofereça o leilão de upgrade para clientes pagantes. E os valores são atrativos, muitas vezes abaixo dos 50 reais.

Como [não] escolher um assento no avião
Classe executiva do Boeing 777-300ER da Latam. Autor desconhecido.
Portanto, vale avaliar com bastante carinho a possibilidade de tentar o leilão de upgrade. Com valores pequenos, você terá o assento do meio bloqueado, marcação de assento e bagagem de 23kg gratuitas, e embarque antes dos passageiros da econômica. Além disso, se o voo for operado por um Airbus A350, um Boeing 767 ou um Boeing 777, os assentos da Classe Executiva vem sendo vendidos como Premium Economy! Lembrando que é um leilão, portanto além de dar o lance, é preciso torcer para que ele seja aceito. Se for aceito, você viaja na Premium Economy. Se não, viaja na econômica comum.

Ufa! Finalmente hora de falar em frota, o que significa que será simples, certo? ERRADO! Isso por que, até 2019, o SeatGuru manteve separados os mapas de frota da Latam Chile e da Latam Brasil. Portanto, eles foram unificados e por seguirem os padrões da matriz, é impossível ter mapas e informações corretas dos Airbus A319 e A321. Já no caso dos A320neo, não tem mapa disponível para eles.

Classe executiva do Airbus A350-900 da Latam. Foto: Marcos V. Oliveira/JetPhotos

Já os A320, é outra novela. Isso por que, os aviões retrofitados seguem o padrão da matriz e seus mapas estão corretos. Para saber se você está voando em um avião retrofitado, eles tem 30 fileiras e a versão correta no SeatGuru é a “Layout 1”. As aeronaves não retrofitadas, originais da Latam tem 29 fileiras, portanto dá pra ter uma idéia usando o “Layout 3”, porém os dados de pitch e das fileiras 4 a 7 do Latam + estão incorretos.

Nos retrofitados, evite a fileira 30, uma vez que ela não tem janelas e é mais apertada que o restante do avião. O Latam + é outro espaço que varia. Hoje, apenas as aeronaves que foram retrofitadas possuem o espaço como ele deve ser (com mais espaço entre as poltronas). Já as demais aeronaves (incluindo os A319 e A321), o espaço é o mesmo do restante do avião, sobrando apenas como “benefício” o bagageiro exclusivo. Neste caso, se você quiser evitar surpresas, escolha a fileira após a fileira de emergência. Ali sim, realmente haverá o espaço prometido.

Como [não] escolher um assento no avião
Classe econômica do Airbus A350-900 da Latam. Foto: Alberto U./JetPhotos
Já os Airbus A320 que vieram da Avianca Brasil, tem uma configuração completamente alienígena: tem 27 fileiras (totalizando 162 assentos), assentos mais espaçosos e entretenimento individual. Como são poucas aeronaves, viajar em um é uma questão puramente de sorte, portanto é necessário torcer. Felizmente, eu tive essa sorte e foi MUITO BOM!

Já nos widebodys, a coisa muda: os mapas disponíveis estão atualizados e atualizados até demais. Os mapas disponíveis para os Boeing 767 tiveram revisão recente. Nela, os avisos de assento ruim (última fileira) foram removidos dos assentos 40A, 40C, 40J e 40L. Além disso, o aviso foi removido dos assentos 4A e 4L, e nesse caso chega a ser mais complicado, pois é um assento de executiva sem janela.

Já os mapas dos Boeing 777 e Airbus A350 estão atualizados e corretos, com as devidas marcações positivas, mistas e negativas.

Sendo assim, agradeço por ter lido até aqui e espero que usem muito bem essas dicas nas viagens de vocês. Abraços e bons voos a todos!